Vamos falar sobre seu #psicoterapeuta. Sobre os critérios para escolher a pessoa que cuidará de sua saúde mental, independente de ser psicólogo, #hipnoterapeuta, psiquiatra ou psicanalista.

Muitas pessoas começam pelo sintoma: um mal-estar, um descontrole, uma sensação de #faltadear ou #pânico e olha que nem estamos falando de #insônia, #suorfrio, #doresdebarriga e de estômago…

Em seguida, começa um processo comum entre todos nós para saber mais sobre tudo isso que você está sentindo. Sua primeira atitude é a de pesquisar no pai de todos os saberes: o GOOGLE: “sintomas + seu problema”, “como tratar + seu problema”, “tem cura + seu problema”.

 

e depois de ler muita coisa, acumular informações, esta na hora de colocar a mão na massa, ops… colocar sua mente para escolher quem vai cuidar de você.

 

E como escolher seu #terapeuta? Como escolher aquele profissional que vai ajudar você a vencer seu desafio e conquistar o tão desejado controle emocional?

Antes de tudo, é importante dizer que você vai encontrar tratamento para diferentes bolsos e por mais que isso possa parecer ser crucial na sua decisão, CALMA!

Não decida sem antes ler estas dicas ou decida, sabendo dos riscos do seu investimento na sua saúde mental.

1). Formação: Existem algumas escolas grandes para formação de profissionais que utilizarão a hipnose em seu consultório: OMNI Hypnosis Training Center Brasil, Hi-Brain Institute, Hipnose Institute, Elsever Institute, entre outros. Normalmente são cursos com duração superior a 6 dias e formam o profissional para atuar com hipnose terapêutica. No mínimo, seu terapeuta deverá ter pelo menos uma formação em uma destas escolas. Cada escola tem a sua abordagem para ensinar hipnose clínica, portanto, não são formações que conflitam entre si, muito pelo contrário, se complementam.

2). Atualização: Inúmeros cursos internacionais de especialização e atualização para hipnoterapeutas acontecem anualmente. Isso significa que SIM, seu terapeuta teve inúmeras oportunidades de se aprimorar e se especializar. Quando foi o último curso de especialização que seu terapeuta fez?

3). Segurança. Como qualquer outro especialista, o hipnoterapeuta precisa passar segurança já no primeiro contato. Isso significa demonstrar amplo conhecimento do assunto, apresentando não só a metodologia como a consequência dela, tempo de tratamento, benefícios, valores e muito mais. Além de esclarecer qualquer dúvida que você tenha ANTES de ir para o tratamento.

4). Pesquisar. Na internet você pode encontrar informações sobre a formação do terapeuta. Vale consulta ao Linkedin, Youtube, Facebook, Instagram e Google. Outra maneira é fazendo contato com quem já foi ou ainda é paciente. Priorize depoimentos em vídeos (prints de whatsapp podem ser manipulados). Artigos, textos para internet, site apresentável, erros de português também podem servir como referência para ver a maneira como o profissional pensa a hipnose clínica e a recomenda.

5). Tempo de atuação. O tempo de experiência do terapeuta é importante. Quanto maior for a experiência no mercado, mais credibilidade ela deve ter. Sendo assim, pesquise sobre o fundador, quantos pacientes já foram atendidos e etc. Além das referências, procure saber mais sobre o funcionamento. No caso de dúvidas, mudança no agendamento, o atendimento deve ser ágil e objetivo. Formas de pagamento, clareza no tempo de duração do tratamento e outros benefícios extras como atendimento online e retornos também devem ser levados em consideração.

6). Duração do Tratamento. Na grande maioria dos casos, o número de 1 a 5 sessões são suficientes. O tempo da terapia também é diferenciado: no mínimo duas horas. Assim, reserve-se ao direito de questionar as justificativas do terapeuta sobre sua terapia ter a necessidade de mais do que 5 sessões e qual o tempo de cada sessão.

7). Valor. Credibilidade, consultório em lugar acessível limpo e com boa aparência, experiência do terapeuta, especializações e atualizações, abordagens e garantias de resultado incidem diretamente no valor do tratamento. Você vai encontrar profissionais que cobram em torno de R$ 250,00 a R$ 300,00 reais por sessão, até R$ 4.000,00 reais pelo tratamento. Mesmo sendo um valor relativamente alto, ainda é mais barato do que anos de terapia. O valor praticado pelo Conselho Federal de Psicologia (Tabela de Honorário, 06/2019) é o de cobrar R$ 275,15, pela solução de problemas psicológicos com duração aproximada de 50 minutos a sessão. Sendo, hipoteticamente, 1 consulta por semana x 4 semanas, estamos falando de um valor mensal de R$ 1.100,60

x 6 meses = R$ 6.603,60

x 12 meses = R$ 13.207,20

x 18 meses = R$ 19.810,00

 

Mas, enfim, como escolher seu terapeuta?

Analise todos os pontos informados. O profissional passou credibilidade? Faça contas. Tem dúvidas, pergunte. Pondere o tempo que o hipnoterapeuta tem como previsível para que você tenha o resultado que foi buscar. Verifique se ele oferece algum benefício no tratamento. Verifique se ele oferece formas de pagamento/parcelamento. Faça contas. Não acredite em terapias com “desconto Black-Friday“, não se trate e nem se permita ser tratado(a) como um produto.

E se um profissional estiver à altura desses critérios saberá o exato valor do seu trabalho sem medo de ser questionado, afinal, entendeu que suas competências são preciosas e raras (nem todo mundo que cobra caro é competente, bom deixar essa ressalva).

 

 

Vanessa Borges

Especialista em Controle Emocional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *